BMFPS


Fernando Pessoa [Registo sonoro]

por João Villaret e Mário Viegas
Português
[Lisboa] : Companhia Nacional de Música, 2010
3 discos (CD) : digital audio
  • Pessoa, Fernando
  • Villaret, João
  • Viegas, Mário
  • Contém: Disco 1: Excerto de uma ode ; Cruzou por mim, veio ter comigo, numa rua da baixa ; Tabacaria / Álvaro de Campos. Autopsicografia ; Isto ; Sonetos 13 e 14 dos passos da cruz ; A múmia ; Ó sino da minha aldeia ; Ela canta, pobre ceifeira ; Gato que brincas na rua ; Liberdade ; O menino da sua mãe ; O mostrengo / Fernando Pessoa Ortónimo. 4 odes : a) não consentem os deuses mais que a vida ; b) como se cada beijo ; c)o ritmo antigo que há em pés descalços ; d) ponho na altiva mente o fixo esforço / Ricardo Reis. Três poemas de o guardador de rebanhos : a) XX : O Tejo é mais belo que o rio que corre na minha aldeia ; b) XXVIII : Li hoje quase duas páginas ; c) XXXII : Ontem à tarde um homem das cidades / Alberto Caeiro. Disco 2: O guardador de rebanhos: I- Eu nunca guardei rebanhos ; II-O meu olhar é nitido como um girassol ; III-Ao entardecer, debruçado pela janela ; IV- Esta tarde a trovoada caiu ; V- Há metafisica em não pensar em nada ; VI - Pensar em deus é desobedecer a deus ; VII- Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver o universo ; VIII - Num meio dia de fim de semana de primavera ; IX- Os pastores de Vírgilio tocam avenas ; XIII - Leve, leve, muito leve ; XIV - Não me importo com as rimas ; XV- As quatro canções que seguem ; XVI - Quem me dera que a minha vida fosse um carro de bois ; XVII - No meu prato que mistura de natureza ; XVIII- - Quem me dera que eu fosse o pó da estrada ; XIX - O luar quando bate na relva ; XX- O Tejo é mais belo que o rio que corre na minha aldeia ; XXI- Se eu pudesse trincar a terra toda ; XXII- Como quem num dia de verão abre a porta de casa ; XXIII- O meu olhar azul como o céu ; XXIV- O que nós vemos das coisas são as coisas ; XXV - As bolas de sabão que esta criança ; XXVI - Às vezes em dias de luz perfeita e exacta ; XXVII - Só a natureza é divina e ela não é divina ; XXVIII- Li hoje quase duas páginas ; XXIX - Nem sempre sou igual no que digo e escrevo ; XXX - Se quiserem que eu tenha um misticismo está bem ; XXXI - Se às vezes digo que as flores sorriem / Alberto Caeiro. Disco 3: O guardador de rebanhos: XXXII - Ontem à tarde um homem das cidades ; XXXIII - Pobres das flores nos canteiros dos jardins dos jardins regulares ; XXXIV - Acho tão natural que não se pense ; XXXV - O luar através dos altos ramos ; XXXVI - E há poetas que são artistas ; XXXVII - Como um grande borrão sujo ; XXXVIII - Bendito seja o mesmo sol de outras terras ; XXXIX - O mistério das coisas onde está ele ; XL - Passa uma boboleta por diante de mim ; XLI - No entardecer dos dias de verão ; XLII - Passou a diligência pela estrada e foi-se ; XLIII - Antes o vôo da ave que passa e não deixa rasto ; XLI - Acordo de noite subitamente ; XLV - Um renque de árvores lá longe lá para a encosta ; XLVI - Deste modo ou daquele modo ; XLVII - Num dia excessivamente nitido ; XLVIII - Da mais alta janela da minha casa ; XLIX - Meto-me para dentro e fecho a janela ; Alguns Poemas inconjuntos: É noite ; Pouco me importa ; A espantosa realidade das coisas ; Nunca sei ; Criança desconhecida ; Pastor do monte ; Um dia de chuva ; Primeiro prenúncio ; Quando tornar a vir a primavera ; Se eu morrer de novo ; Se depois de eu morrer ; quando vier a primavera ; Quando a erva crescer ; A neve ; É talvez o último dia da minha vida / Alberto Caeiro.



    Compact disc -- Fonograma não musical -- Poesia -- Séc. XX --

    Exemplares

    CotaBibliotecaNº de inventárioNota ao exemplarDisponibilidadeCódigo de barras
    612 PES BPS1 CD 1159-I 00091916
    612 PES BPS1 CD 1160-II 00091917
    612 PES BPS1 CD 1161-III 00091918